mainieri's

quinta-feira, maio 25, 2017

Indícios



estrias de nuvens
na pele do céu
chuva se aproxima.

Ricardo Mainieri

quinta-feira, maio 11, 2017

Tabacaria numa versão bem-humorada




Era domingo. Na noite anterior, Fernando Pessoa tinha tomado duas garrafas de vinho Mateus Rose. 

Não tinha cigarros e a tabacaria estava fechada, naquele momento. 

Padecendo de uma inominável dor de cabeça e fissurado pela falta do tabaco, começou a viajar na maionese e a tecer considerações filosóficas. 

Nisso, o Esteves reabre a tabacaria e ele vê uma menina comendo chocolates. 

Quer ir até lá, mas lembra que está devendo alguns trocados para o dono da Tabacaria. 

Fica puto da cara e escreve aquele poema de quase dez páginas.




Ricardo Mainieri

segunda-feira, abril 03, 2017

Influências



 
se o Ezra
Pound

por que
não eu?

ser Neruda
por um dia

fazer-se de Lorca
depois

anônimo
entre heterônimos
encontrar a pessoa

que vos fala
e diz.
 
Ricardo Mainieri

quarta-feira, março 08, 2017

Dia internacional da mulher



No supermercado, alguns homens compram rosas. Pensam: hoje é o Dia Internacional da Mulher.

Pagam R$ 2,99 e acreditam terem cumprido um rito anual.

À noite, vão presentear a parceira. Pegar o controle remoto e sintonizar no futebol. Ou discutir por causa do tempero da comida. Ou, simplesmente, abrir a porta e sair.


Hoje, o simulacro do afeto: a rosa. Amanhã e nos próximos dias: os espinhos.


Ricardo Mainieri

Poema premiado em 4.º lugar - 6º Concurso Literário de Itaporanga - PB

VERSOS VIRA-LATAS


meus versos
não tem pedigree

são animais

tirados das ruas

crescem assim

meio a esmo


alimentados

pela ração diária

do sentimento


não tente adestrá-los

eles são do mundo


e passeiam

sem culpas


placidamente.



Ricardo Mainieri

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Pandora






nos dias

em que o sol

não me sorri



abro a caixa escura

da memória



saltam 
rotas imagens

fétidos aromas

sensações incorpóreas



faz frio

mas me refaço



novos dias

quem sabe mais cálidos

me esperam



nesta paisagem transitória.


Ricardo Mainieri

terça-feira, fevereiro 14, 2017

Pluviosa imagem





sob a chuva
pedras conversam
num dialeto antigo


observam os homens
& suas solidões


absorvem humores
bebem angústias


e preparam a cidade
para mais um dia


de suor & lida
assim a vida.


Ricardo Mainieri

PS - A foto quer ilustra o poema é de Marcio Dias.

quarta-feira, dezembro 21, 2016

(Des)encanto



escuridão compacta
domina a paisagem
destes dias


segue em sua faina
de fragmentar

utopias

de sepultar
esperanças


instala seu caos
em favor de poucos


não tem alma
carece
de qualquer empatia


sou frágil
presa fácil


 porta-voz da poesia.



Ricardo Mainieri

sexta-feira, dezembro 09, 2016

Poemas nos ônibus - Balneário Camboriú 2017


Poema selecionado para circular nos ônibus de Balneário Camboriú, SC, no ano de 2017


BIODIVERSIDADE



dor me atinge

ao ver a mata devastada



enlaça

todos os seres vivos



uma epiderme

invisível & contínua

nos une



implacavelmente.


Ricardo Mainieri 

imagem captada pelo autor com uso de máquina Fuji. foto com viragem em sépia.

quinta-feira, novembro 17, 2016

Poema selecionado no Concurso SINECOL - Limeira - SP -2016

O PASSADO DÓI, MAS PASSA


tinha
a primavera nos olhos



e o coração

na ponta dos dedos

percorria os bares
numa fome etílica
e humana

perseguia
a utopia

ela não parecia distante

hoje
com a alma estilhaçada
emenda os nós da existência

quase solitário

numa implacável
resistência.



Ricardo Mainieri

quinta-feira, outubro 20, 2016

Miniconto


 
Lost Paradise

A serpente bem que tentou convencer Adão e Eva.
Era hábil, persuasiva. 
No entanto, não conseguiu inaugurar esta estória de "menage a trois" no Paraíso.
Depois, foi outra estória.

Ricardo Mainieri

segunda-feira, outubro 17, 2016

Poema premiado

Meu poema foi selecionado pelo Projeto Pão e Poesia, da Fundação Cultural de Blumenau. Vai circular de forma inusitada em papel de pão, pois lugar de poesia é em todo lugar.




LABIRINTO-ME


sob o lume 
das trevas
traçar a saída


do labirinto


laboriosamente
num íntimo escape.



Ricardo Mainieri

terça-feira, outubro 04, 2016

Oceano das memórias




aquele teu bilhete
perfumado & selado 
com um beijo

é uma gota 

no oceano das memórias
tempo

dos cabelos cacheados

do primeiro rock in Rio

da leitura
dos livros proibidos
dos cineclubes alternativos
do vinho tinto de garrafão


é um recorte
na noite alta
das ruas de love for sale
entre a Ipiranga & São João



do vá ao teatro 
nas kombis da praça Tiradentes
onde vi Otelo, Gracindo e muito mais



paradisíacos tempos
praias caleidoscópicas
ilhas de aventura
não voltam jamais.


Ricardo Mainieri

quinta-feira, setembro 22, 2016

Dia da árvore


sexta-feira, setembro 09, 2016

Breve ato


quarta-feira, setembro 07, 2016

Oração para 7 de setembro



eles marcham

botas lustradas
& ritmadas
 
crediário escasso
esperanças parceladas

eles assistem

almas engravatadas
sorrisos fake
no horizonte das bocas


nós marchamos

nos dias escuros
na ausência de verbo
& verba


na desesperança nossa
de cada dia


amém.
 

Ricardo Mainieri

quarta-feira, agosto 10, 2016

Do ofício


Este poema recebeu a segunda colocação no Prêmio de Poesia Lila Ripoll, 2016, Porto Alegre/RS



DO OFÍCIO


escrever me redime
escrever me consola

expulsa
de meu templo
decaídos & demônios

reconstrói pontes
interditadas

desentope os poros
da alma

por isso
sobrevivo em versos

e canto.




Ricardo Mainieri 

quinta-feira, julho 14, 2016

Livro da Tribo



No ano de 2017 estarei participando, novamente, do Livro da Tribo. Para mim uma das últimas publicações de poesia alternativa no Brasil. Deixo aqui um dos poemas selecionados:


SHOPPING CENTER

o homo urbanus
adentra sem planos
su dulce lar

missão cumprida
a ida ao gueto do consumo
foi bem sucedida

com bolso & alma
leves

agora
descansa em paz.


Ricardo Mainieri

sexta-feira, julho 08, 2016

Dos sentimentos





quando o sentimento
com ou sem argumentos
tenta invadir o território

da alma

 o corpo acusa
os sentidos percebem

e soam os alarmes internos

a alma desconversa
cria subterfúgios
busca ensaiar a fuga

tola tentativa
pois o sentimento
mesmo indesejado

ensina

é nosso mestre e senhor.


 Ricardo Mainieri


segunda-feira, junho 20, 2016

Agasalho líquido




tarde de sábado
frio por companhia
incendeio-me por dentro.


Ricardo Mainieri

segunda-feira, junho 13, 2016

Sol interior


terça-feira, maio 10, 2016

Aridez


terça-feira, abril 26, 2016

Estados físicos da alma


segunda-feira, abril 11, 2016

Arco-íris


sexta-feira, abril 01, 2016

Receituário


sexta-feira, março 11, 2016

Dos ipês


terça-feira, março 08, 2016

Mulheres da vida



conheço
muitas mulheres da vida

da vida sofrida
amparando filhos
que um homem sem norte
deixou para trás

da vida sentida
em todas cores & tons
embora lá fora escureça

da vida vencida
por sua competência
sua sensível inteligência

e que não contam vantagem disso

mulheres que tem o seu dia
todos os dias

não apenas oito de março.



Ricardo Mainieri

terça-feira, fevereiro 23, 2016

Bendito

 

 
felicidade
mesmo que instantânea

na combustão de um segundo

relâmpago que corta
o horizonte da face

num sorriso

emosentimento
que nem sei descrever

que pensei exilado
em algum confim

quando surge
é potente

tem a energia de megatons.


Ricardo Mainieri

sexta-feira, fevereiro 12, 2016

Desagravo

Poema que foi escolhido para figurar na antologia  "A palavra em prisma", organizada pela Prefeitura de Guarulhos/SP.




DESAGRAVO

leio na tela
a seta ofensiva

a ogiva de ódio
mal disfarçado

o lero-lero
dos entendidos
dos enrustidos

que estilhaça
a alma do poeta
que semeia cultura

bando de poetabutres
dividindo a presa.

Ricardo Mainieri

----------------------------------------------------
em: "A palavra em Prisma", 2015 - Ed. Futurama - SP

terça-feira, janeiro 12, 2016

Do fruto e afins


terça-feira, dezembro 29, 2015

Sunday in New York



em algum domingo
estarei em Nova York

e ouvirei jazz
à meia-luz
num bar mágico & enfumaçado

deixarei
que o sopro lânguido do sax
me leve a horizontes áureos
edens imaginários

degustarei a melodia
acompanhado
de um white wine

serei feliz
por breve tempo

logo o despertador
invadirá meus tímpanos

e irá me trazer de volta
para a vida de todo dia.


Ricardo Mainieri


quarta-feira, dezembro 09, 2015

Caminho do meio




quarta-feira
meridiano da semana

 

não estou perdido
 

meu coração
se orienta
pelos pontos cardeais.



Ricardo Mainieri

quarta-feira, dezembro 02, 2015

Névoa






nascente manhã

de olhos semicerrados
 
neblina no ar




Ricardo Mainieri


segunda-feira, novembro 30, 2015

O coitado



desde pequeno
trazia um sim
grudado nos lábios

um olhar cabisbaixo

todos foram príncipes
na  vida

ele continuou
catando migalhas
de atenção

cabelos brancos
boca desdentada

palavras loucas
em infinito refrão.


Ricardo Mainieri

terça-feira, novembro 24, 2015

Das raízes



se for vero
persevero

radical
busco as raízes

delas extraio
a síntese

noite & dia

dialeticamente.


                                   
Ricardo Mainieri

quarta-feira, novembro 18, 2015

Maturidade







vida escorre
pelas dobras
do cotidiano


pelas fendas
da memória


não mais ilimitada
minutos tem valor
inestimável


ação
pede passagem
poesia liberdade


o tempo
espia implacável


e vai apagando
estorias

de coisas & gentes.


Ricardo Mainieri


terça-feira, novembro 10, 2015

Solidão em 4 G


 
um casal
defronte minha mesa

diante deles
dois celulares
de última geração

nas telas
intensas informações

não se falam
teclam

não se tocam
teclam

em seus planetas
particulares
o outro

não faz parte

solidão
em 4 G.


Ricardo Mainieri

quinta-feira, outubro 29, 2015

Adivinho


sexta-feira, outubro 23, 2015

Homem-esfinge





o homem tem mil faces

saber sua essência

não é fácil



um sorriso

veste-se de verdade

ou engana



um olhar

acaricia ao outro

ou se dissolve ao vento



por isso o mistério

a confirmação ou a surpresa



como na mitologia

uma pergunta

na garganta presa



decifra-me ou te devoro.


Ricardo Mainieri