mainieri's

domingo, fevereiro 12, 2006

Presságios cósmicos






Ausculto o céu sem estrelas em busca de presságios.

Com pressa, como sempre, não percebo nuances, detalhes.

À esquerda, Vênus flui eflúvios de amor.

Mercúrio, tão próximo ao Sol, em passos rápidos
envia sinais e eu os decodifico.

Marte, em tons escarlates, lembra batalhas diárias,
a cota de energia aplicada em projetos & sonhos.

Saturno, glacial planeta, nos traz as estruturas e lentifica as ações.

Saio deste universo. Percorro outras galáxias.

Em todo o canto, a sinfonia da Criação

Ricardo Mainieri

4 Comentários:

  • Oi Ricardo

    Continuo te lendo...

    Saudades!!!


    Beijos

    Por Anonymous silvia paiva, Às 7:33 PM  

  • só passando para dar um alô e dizer que o poema é um auto-retrato meu :)
    abraços
    rubens

    Por Blogger Rubens da Cunha, Às 10:18 AM  

  • Os antigos bem que tentaram ler o céu. Resta-nos fazer poemas sobre a magnitude dos deuses. De resto, nada sabemos o que dizem as estrelas.

    Por Blogger solfirmino, Às 11:20 AM  

  • Ricardo

    Lindo poema que traduz mais uma vez sua veia poética em perfeita sintonia com os astros.

    beijo
    Rose

    Por Blogger asas claras, Às 7:22 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<$I18N$LinksToThisPost>:

Criar um link

<< Página inicial