mainieri's

quarta-feira, setembro 01, 2010

Reforma íntima






Casa mental
em reformas.

Repleta
de formas-pensamentos
idéias que não se reciclam.

Pó acumulado
nos desvãos da memória.

O ócio que aprisiona
a tarde sempre cinza
seriam desculpas.

No entanto tento.

Abro as janelas
dispo as cortinas.

Deixo a luz me visitar...


Ricardo Mainieri

6 Comentários:

  • A minha também precisa, Ricardo!
    Com urgência...rs...
    Mas deixo de lado a brincadeira, para dizer que adorei o seu poema!
    Criatividade alta! Talento de sobejo...
    Abraço

    Por Blogger Zélia Guardiano, Às 4:03 PM  

  • o ócio pode ser criativo, mas a poeira acumulada precisa de uma faxina para que o ópio vire poesia
    :)

    Por Blogger clauky boom, Às 10:24 AM  

  • Nossa, Ricardo!
    Descreveste tão bem:
    "minha casa mental
    precisa de reformas."
    De contínuas reformas...

    Beijo,
    Doce de Lira

    Por Blogger Renata de Aragão Lopes, Às 1:59 PM  

  • Ah, memódia é assim mesmo: às vezes nos pungem, às vezes nos deliciam.

    E sua poesia, grande poeta, pulula mostra-se em verso e avesso.

    Abraços!

    Por Blogger Wilson Torres Nanini, Às 8:48 AM  

  • "...Eu poderia ficar sempre assim
    Como uma casa sombria
    Uma casa vazia
    Sem luz nem calor

    Mas
    Quero as janelas abrir
    Para que o sol possa vir iluminar..."

    (Janelas abertas - Tom e Vinícius)

    Mãos à obra, façamos a reforma íntima.

    Caso queira, visite-me no www.espacointertextual.blogspot.com

    Por Blogger Marcio Nicolau, Às 12:53 PM  

  • Ricardo, perceber que precisamos nos renovar é um início, fazer um poema disso é um meio, mudar é preciso.
    Abraço do Jefhcardoso que lhe convida ao http://jefhcardoso.blogspot.com

    Por Blogger jefhcardoso, Às 6:21 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<$I18N$LinksToThisPost>:

Criar um link

<< Página inicial