mainieri's

quinta-feira, maio 07, 2009

O fazedor de auroras











Dá-me tua mão tarde de maio
tua chuva fina
teus filtros de memória
tua claridade.

O coração persiste
na lenta construção
das manhãs.


Jorge Adelar Finatto
______________________________


Do livro: O Fazedor de Auroras, ed. Igel/IEL

4 Comentários:

  • Ricardo

    BElíssimo poema fazedor de aurora.
    Que nome mais sugestivo para versar em cores e raios solares nas tardes de maio.
    Obrigada pela poesia de Finatto e indicação do livro.

    Por Blogger Rosemari, Às 9:50 AM  

  • "É preciso tecer as manhãs", dia a dia...
    Beijos, poeta!

    Por Blogger Ana Guimarães, Às 11:03 PM  

  • Ricardo,
    "As manhas e as manhãs" (recordando Almir Sater) o Jorge Finatto expressa essa necessidade de renovação a cada instante da vida. Muito lindo mesmo.
    Beijos

    Por Blogger Tere Tavares, Às 7:41 PM  

  • Ricardo,
    Belissimo este poema!!
    beijos
    Andréa

    Por Blogger Andrea Motta, Às 8:57 AM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<$I18N$LinksToThisPost>:

Criar um link

<< Página inicial