mainieri's

segunda-feira, dezembro 17, 2012

Aos predadores da poesia







A ótica divergente
 brisa bem-vinda
quando sopra constante
e tem firme textura.

A generalização
 poder de ciclone
que não lança sementes.

É somente 
prenúncio do caos
devastação insana
no jardim das vaidades.

Como o bambu
após a tempestade
curvo-me & renasço.

Respondo em versos
aos que me apedrejam.

Junto as pedras arremessadas
e com elas construo
nova morada.

Onde possa a poesia
nua andar
e seja sempre dia
sepultando a escuridão.


 Ricardo Mainieri
__________________________

Gracias,  Lau Siqueira pela inspiração 
do título!


3 Comentários:

  • o crítico é um broxa, mainieri.

    Por Blogger Primeira Pessoa, Às 12:56 PM  

  • Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    Por Anonymous Anônimo, Às 8:36 PM  

  • À partir de agora vou instalar a moderação de comentários, Sr.Alberto Souza Soares. Sou um homem de 52 anos, responsável, profissional de comunicação e não estou aqui para ser ofendido gratuitamente. Se não gosta de meu trabalho, não olhe. Vá ver sites de pornagrafia na NET.

    Por Blogger Ricardo Mainieri, Às 8:08 AM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<$I18N$LinksToThisPost>:

Criar um link

<< Página inicial