mainieri's

quinta-feira, julho 31, 2014

De homens sensíveis e nem tanto





Nós, homens, carregamos dores, muitas vezes, não verbalizadas.

Pequenos e grandes sofrimentos, mágoas, medos e dúvidas que permanecem encarcerados na vivência interior.

Provavelmente, porque o homem introjetou a ideia de que tem de ser pragmático, produtivo, forte, provedor e outras coisas que nossa cultura gravou como um selo permanente em sua psique.

Neste momento, de tanto deixar de notar o fluxo das emoções e os pequenos deslizes, aparecem os problemas físicos, o desvio para as drogas ou alcoolismo, o péssimo relacionamento pessoal e profissional.

O sintoma encobre a realidade emocional que não pode ou não quer ser manifestada.

Aproveitando-me da sabedoria de Carl Gustav Jung, ouso afirmar que o homem pouco integra as porções inconscientes de sua Anima e de sua Sombra. Explicando melhor seu lado feminino e sua zona de terrores. Foge delas. Não quer encarar sua face mais recôndita, instável, emocional,duvidosa, preferindo os desvios comportamentais.

E se alguns convivem mais harmoniosamente com aspectos emocionais, artísticos, receptivos logo recebem críticas presenciais ou veladas e são, de certa forma, discriminados no círculo dos “homens fortes, potentes e racionais”.

Por isso prefiro, ainda, a descoberta das razões que só o coração entende, do que um ataque fulminante a este mesmo órgão o que vai decretar, precocemente, minha aposentadoria para a vida.


Ricardo Mainieri

1 Comentários:

  • Um texto reflexivo e carregado de verdades. Concordo plenamente com seu conteúdo e acho que foi muito feliz em sua explanação. Demorei para descobrir isso, mas hoje entendo perfeitamente o que disse aqui.

    Grande Abraço!

    Por Blogger Celso Mendes, Às 3:10 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<$I18N$LinksToThisPost>:

Criar um link

<< Página inicial